Inteligência Artificial: O trabalho de trader irá desaparecer?

Inteligência Artificial: O trabalho de trader irá desaparecer?

Nos últimos anos, um importante fenômeno global ocorreu no mundo das finanças e particularmente nos mercados. Este fenômeno está se intensificando dia-a-dia. Isto ocorre por causa da automação e utilização de programas de computadores nas salas de negociação de bancos e outras empresas financeiras.

O antes e o depois

Foi o que ouvimos e vimos, no "antes": trader, bônus, dinheiro, Ferrari, Lamborghini, luxo, estilo de vida a cem por hora, Rolex, garotas de biquíni em barcos em St-Tropez, e etc. E o que estamos ouvido há algum tempo e está cada vez mais presente no mundo das negociações é : a Inteligência Artificial, (IA), máquina virtual, máquina de aprendizado, programação, robôs, algoritmos, big data, automação, informática, e etc e tal. Logicamente que o humor está menos divertido! Pois estamos longe de Gordon Gekko e do Lobo da Wall Street.

O fato está claro : A Wall Street aboliu 3.000 posições em 4 anos, incluindo uma grande parte de traders. Na Goldman Sachs, por exemplo, havia 600 traders em 2000. E hoje eles são apenas 2, assistidos por 200 programadores de computador!

Mas o que aconteceu nesta indústria que voou alto e em ritmo frenético, com feixes de notas de $ 100 dólares? E o que aconteceu com a fantasia dos traders que ganhavam milhões?

Bem vindo aos robôs

O fenômeno é autoexplicativo. Mas você tem que entender uma coisa. O trabalho de negociar em bancos consiste principalmente em colocar e executar ordens de compra e venda para seus clientes. A especulação agora está sendo proibida por causa de novas leis criadas recentemente que exigem que os bancos reduzam seus riscos, e especialmente não joguem com o dinheiro de seus clientes! Os traders portanto, tornaram-se verdadeiros "operadores de mercado" que apenas fazem pedidos. Essa atividade de “criação de mercado” é agora gerenciada por engenheiros financeiros e desenvolvedores de computadores que criam algoritmos de negociação e colocam e executam pedidos de clientes automaticamente. Não há necessidade de intervenção humana!

Além da simples execução de ordens, esses modelos estatísticos e programas de computadores, absorvem enormes volumes de dados para prever movimentos de mercado e tendências futuras. Essas máquinas podem ingerir e explorar todos os dados da web, como notícias, tweets, relatórios, programas de TV, entrevistas com pessoas influentes, e etc. Ou seja, tudo o que existe na web, e que funciona 24 horas por dia. Portanto, tudo isso é obviamente impossível para um ser humano. Podemos ver que, mesmo para especulação, para empresas ou fundos como fundos de hedge, esses robôs podem ser muito interessantes e até se tornarem essenciais para permanecer na vanguarda do setor.

Por outro lado, os seres humanos têm ângulos que alteram seu julgamento e decisões. Um algoritmo é baseado nos dados e não tem nenhuma prioridade ou sensibilidade particular, pois ele é objetivo. E de fato, um programador de computador não comete erros, exceto aqueles "codificados" pelo programador (para não ser negligenciado: antes de programar, você tem que ser capaz de projetar uma estratégia e conhecer o mercado).

Por outro lado, a inteligência artificial permite economizar nos salários e nos lugares. Um engenheiro custa 5 vezes menos do que um trader, e um computador ocupa menos espaço que 50 traders. É inútil dizer que para reduzir os custos, a inteligência artificial só tem o lado bom, e os bancos não se privam.

Consequências

Além da redução de efetivos, especialmente de traders na sala de negociação, quais são as conseqüências dessa morte planejada dos traders?

Alguns são bastante inesperados. E parece que nos principais centros financeiros, como Londres e Nova York, os preços dos imóveis estão em baixa, e os traders e outros administradores de fundos estão vendendo seus bens! Portanto, não há mais salários e bônus mirabolantes que podem ser utilizados para comprar imóveis. Mas tudo isso ainda precisa ser estudado e aprofundado, mas é fácil de imaginar.

Outra consequência é o mercado de trabalho globalmente. Os estudantes que estavam estudando principalmente finanças, para potencializarem um salário maior, serão dispersados para outros setores. E se os assalariados não estão mais nos bancos, eles vão para outros lugares. E isso é bom para as empresas que se beneficiarão dos brilhantes cérebros dos jovens talentos. Assim, a tecnologia, a saúde e a energia receberão os recém-chegados de braços abertos, mas sem promessas (e sem poder oferecer-lhes) salários extraordinários.

E o que virá no futuro?

O que vai acontecer com os traders daqui 5 ou 10 anos? Esse trabalho vai desaparecer? O trader vai acabar?

Para responder essa pergunta, é preciso primeiramente distinguir o tipo de trader de que estamos falando. No nível de execução pura e difícil, é quase certo que as máquinas farão isso sozinhas. Não haverá necessidade de intervenção humana pois os programas são mais rápidos, mais confiáveis e mais eficientes. Mas por outro lado, será preciso que as pessoas criem e mantenham esses algoritmos.

Isto permanece menos óbvio para as funções mais "cerebrais", onde a pessoa deve ter uma opinião ou uma visão à médio ou à longo prazo nos mercados e tomar posições em conformidade. Na especulação, os robôs de negociações dominam bem à curto prazo (negociação de alta frequência), mas dominam pouco à longo prazo.

Então, se ele quiser sobreviver, o trader terá que gerenciar a negociação presencialmente, e terá necessariamente que ter uma boa visão à longo prazo. Ele também poderá se especializar para se tornar um verdadeiro especialista em negociação, e assim agregará mais valor.

Mas de qualquer forma, é aconselhado aos jovens que queiram "trabalhar em bancos", que se matriculem em uma escola de informática e aprendam a codificarem em vez de se aventurarem em uma faculdade de administração ou fazerem um mestrado!

Confira e Compare os Melhores Brokers do Trading Automático

Última Atualização em 29/01/19

Continue esta discussão no Forum