Guia de melhores investimentos para idosos e aposentados

Admin14/06/22 (atualização 1 semana, 1 dia atrás)aposentados, idosos, investimentos, renda fixa, IPCA, ações, fundo de investimento

Guia de melhores investimentos para idosos e aposentados
Guia de melhores investimentos para idosos e aposentados

Comentários

Conhecer os investimentos mais adequados para pessoas da melhor idade é uma forma de planejar o futuro. Sabemos que o valor médio das aposentadorias no Brasil é baixo, o que faz com que muitos aposentados sejam obrigados a continuar trabalhando depois da aposentadoria.

Diante disso, aprender sobre investimentos para esse público significa a possibilidade de complementar a renda de forma passiva, que na verdade é o que a maioria deseja, não é mesmo?

Por isso, neste guia apresentamos os investimentos mais indicados para idosos e aposentados, lembrando sempre que o estudo do mercado é essencial para reduzir riscos e maximizar resultados.

Porque é importante aprender sobre investimentos na aposentadoria?

Como já dissemos, muitos aposentados têm dificuldade de parar de trabalhar quando se aposentam. Isso ocorre devido ao valor dos benefícios e, principalmente, ao aumento nas despesas, principalmente com saúde.
Muitas vezes, o trabalhador contribui 30 ou 35 anos para o sistema de previdência e quando chega o tempo de se aposentar, o valor do benefício não é suficiente para suprir suas necessidades mais básicas, como se alimentar e cuidar da saúde.

Sendo assim, uma alternativa para complementar a renda, é buscar bons investimentos no mercado financeiro, tanto em renda fixa quanto em renda variável. É importante lembrar que existem bons investimentos para todos os tipos de perfis, dos mais conservadores aos mais ousados.
Conhecer os investimentos, onde se pretende aplicar os recursos, possibilita investir com mais segurança, conhecendo melhor os riscos e oportunidades. Para apresentar investimentos potenciais para idosos e aposentados, dividiremos eles em renda fixa e renda variável. Então vamos lá!

Escolha a corretora no comparativo do CFD, clique aqui.

Investimentos em renda fixa

Os investimentos em renda fixa oferecem oportunidades para quem busca bons retornos a curto ou longo prazo. Por isso, é ideal para quem tem que esperar ainda alguns anos até a aposentadoria, em alguns casos e para quem já está aposentado, em outros.

Via de regra, esses investimentos são mais seguros, sendo mais indicados para perfis mais conservadores ou moderados, mas nada impede que perfis mais ousados façam bons investimentos em renda fixa também.

Então agora vamos aos melhores investimentos em renda fixa!

investimentos em renda fixa
Investimentos em renda fixa

Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA faz parte do programa Tesouro Direto, que foi criado pelo Tesouro Nacional do Brasil, visando possibilitar a aquisição de títulos públicos federais por pessoas físicas no mercado financeiro. Esse tipo de investimento possui um rendimento pós-fixado que está atrelado ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), além de um percentual fixo, o que garante a ele um ganho real, ou seja, acima da inflação.

De forma simples, podemos conceituar o Tesouro IPCA+ como um empréstimo que o investidor faz ao governo, no ato da compra do título. Em contrapartida, no vencimento do título (empréstimo), o governo atualiza o valor do título pelo IPCA e ainda aplica um percentual extra, que é justamente o lucro da operação. Por se tratar de um título garantido pelo Tesouro Nacional, esse investimento é considerado um dos mais seguros do mercado.

O IPCA+ é super recomendado para quem busca retorno a curto prazo. Isso porque é um título de alta liquidez, que sempre retorna um ganho real. O prazo para resgate pode ser até de meses, mas o ideal é que seja de um ano.

Tesouro Direto Pré-fixado

Esse título do Tesouro Direto é um pouco diferente do IPCA+. Enquanto naquele título, não é possível saber exatamente o valor a ser resgatado no final do investimento, pois depende da variação inflacionária do período, no pré-fixado, a taxa de retorno já é definida no momento da aquisição.
Isso significa que o investidor já sabe exatamente quanto vai receber ao final do período da aplicação. Por isso, ele é ótimo para planejamento da aposentadoria, uma vez que é possível planejar o uso do dinheiro, já que o seu valor é conhecido.

Vale lembrar que é um investimento para médio e longo prazo. Isso porque quanto maior o prazo maiores são as taxas de retorno. Sendo assim, é ideal para quem não se aposentou ainda, mas está próximo disso.

É um investimento tão seguro quanto o IPCA+, já que é garantido pelo Tesouro Nacional também.

Investimentos em renda variável

No caso de investimento em renda variável, alguns especialistas orientam aos investidores a utilizarem a “regra do 100”. Essa regra é muito utilizada nos Estados Unidos, mas é também recomendável que seja utilizada no Brasil, principalmente, a investimentos para quem está aposentado ou está visando a aposentadoria.

A regra dos 100 é bem simples: basta pegar 100 e subtrair a idade do investidor. Por exemplo, quem tem 60 anos, aplicando a regra dá um total de 40 (100 - 60). Isso significa que o recomendado para quem tem essa idade, é ter 40% da sua carteira em investimentos em renda variável.

Posto isso, vamos aos investimentos em renda variável para aposentados e idosos.

Ações

investir em ações
Investir em ações

O leque de opções para investir em ações é vasto, indo de empresas consideradas seguros a empresas de alto risco. Vale lembrar que quanto maior o risco, maior a possibilidade de altos retornos também. Portanto, a escolha em que ações investir vai depender do perfil do investidor.

Para investimento em ações, é possível escolher entre investir no day trade, no swing trade e a longo prazo. Lembrando que day trade é quando a operação de venda é realizada no mesmo dia da operação de compra. Já no swing trade, a operação de venda é realizada em dia diferente da compra, normalmente em algumas semanas.

No caso de pessoas que já estão aposentadas e precisam complementar renda, o ideal é optar pelo day trade ou swing trade, já que o retorno é mais rápido, podendo ser até imediato. O problema é que para ser um trader é necessário ter um bom conhecimento do mercado, já que o nível de risco é alto.

Já para quem está buscando planejar a aposentadoria, a opção por investimento de longo prazo é a recomendada. Esse tipo de investimento oferece maior segurança e pode trazer retornos tanto pela valorização das ações quanto pela distribuição de dividendos.
Para quem opta por investir no longo prazo, segmentos como de energia, siderurgia e commodities são as melhores opções. Esses segmentos oferecem segurança e geralmente, pagam bons dividendos.

Contudo, é preciso sempre estar atento ao mercado para aproveitar as melhores oportunidades. Nunca é demais dizer que crises geram oportunidades. Portanto, esteja sempre com os olhos e ouvidos voltados para o que acontece no mundo.

Fundos de investimentos

Outra opção são os fundos de investimentos. A cada ano eles se tornam mais populares no Brasil, pois além de retornarem bons ganhos, são mais simples, visto que são administrados por um gestor.

Nos fundos, o investidor adquire cotas do fundo, sendo remunerado de acordo com a quantidade de cotas adquiridas. Nesse tipo de investimento, o gestor fica atento no mercado, buscando boas oportunidades para aquisição de ativos que podem gerar retorno aos cotistas. Os fundos mais populares são os fundos imobiliários e os fundos de ações.

- Nos fundos imobiliários, o gestor adquire quotas de imóveis comerciais. Ao fazer isso, é como se o fundo cobrasse aluguel pelo uso desses imóveis. E é justamente esse “aluguel” que proporciona lucro aos cotistas.
Já no caso dos fundos de ações, o funcionamento é idêntico aos fundos imobiliários. Isso significa que quem toma as decisões de compra e venda é o gestor do fundo e não o investidor.

- Como os fundos de ações estão diretamente ligados ao desempenho das ações, a volatilidade nesse tipo de investimento é bem alta. Por isso, é importante que o gestor seja alguém com experiência e conhecimento de mercado.

O resgate dos rendimentos dos fundos variam de acordo com a necessidade do investidor. Mas é importante lembrar que esses títulos são tributados pelo imposto de renda (IR), sendo que quanto menor o prazo de resgate maior a taxa de tributação, o que é conhecido como tabela regressiva.

No caso dos fundos imobiliários, a taxa tributária do IR varia de 22,5% a 15%, de acordo com o tempo de resgate. Já nos fundos de ações, há uma taxa única de 15%, cobrada na fonte no momento do resgate.

Conclusão

Uma coisa é certa: investir é uma alternativa que precisa ser levada em consideração, tanto por quem está aposentado e precisa aumentar sua renda quanto por quem está planejando a aposentadoria. Isso porque há possibilidades de investimentos para todas as necessidades, desde para quem precisa de retorno rápido como para quem deseja juntar um bom montante de recursos no médio e longo prazo.

O essencial é que haja uma análise profunda sobre o que é melhor de acordo com a sua necessidade e desejo e, dessa forma, haja a opção pelo investimento mais adequado ao seu perfil. E, para encerrar esse guia, fica uma dica: procure sempre diversificar sua carteira de investimentos para que assim, seus riscos sejam minimizados. Um abraço e até a próxima!

Confira e compare os Melhores Brokers em CFD

Última atualização em 14/06/22

Artigos que você pode gostar