Por que os investidores estão apostando no Paládio?

Por que os investidores estão apostando no Paládio?

O Paládio (Palladium) faz parte dos quatro principais metais preciosos, juntamente com ouro, a prata e a platina, e o seu preço atingiu um nível recorde recentemente. O Paládio é um material branco-prateado, um dos seis metais do grupo da platina e um componente essencial de dispositivos de controle de emissões poluentes para automóveis e camiões. Considerado por muito tempo como o primo pobre dos metais preciosos, o preço do Paládio dobrou em menos de um ano e se tornou mais caro do que o ouro. Embora alguns metais escuros ainda sejam mais valiosos, o Paládio tem sido comercializado a um valor mais alto do que o ouro durante a maior parte deste ano. O seu preço aumentou mais de 50% desde agosto, excedendo o preço do ouro pela primeira vez desde 2001.

A utilização do Paládio

85% deste metal é usado em sistemas de escapamento de automóveis. Estes dispositivos, instalados entre o motor e o tubo de escape, convertem até 90% dos hidrocarbonetos, monóxido de carbono e dióxido de azoto contidos nas emissões dos veículos automotivos em azoto, dióxido de carbono e vapor de água: componentes menos nocivos.

Nestes últimos anos, o Paládio também se tornou uma tendência popular na indústria da joalheria, já que a sua cor branco-prateada e o seu acabamento de alto brilho são perfeitos para este setor. Alguns designers dizem que o Paládio já é mais popular do que metais preciosos mais tradicionais como o ouro e prata, e já pode se estabelecer como um metal de luxo para a fabricação de joias.

O Paládio também é útil na medicina: ele pode ser facilmente utilizado para implantes medicais e instrumentos dentários, como a platina. O Paládio é usado em coroas, pontes e também como revestimento de titânio na proteção da superfície do metal de base.

O Paládio foi introduzido nas aplicações biomédicas há pouco tempo e ele será utilizado principalmente em conjunto com a platina na medida em que a demanda por cuidados médicos aumenta. 

Como resultado, espera-se que a demanda por Paládio aumente de forma constante à medida em que as economias emergentes aumentarem também as suas demandas por automóveis e melhores equipamentos de saúde e odontologia.

Por que o preço do Paládio aumentou tanto?

A oferta não respondeu à demanda cada vez mais crescente do mercado.  

O uso do metal no setor do automóvel aumentou por conta de várias medidas governamentais, vindas particularmente da China, que reforçam as regulamentações contra a poluição causada por veículos, obrigando os fabricantes a aumentar a quantidade de metais preciosos que utilizam.  

Outra razão para o seu valor ter aumentado é o simples fato das fontes serem raras. As minas se encontram na Rússia, na África do Sul, em Ontário e em Montana. No total, estima-se que aproximadamente 110.000 toneladas de metais do grupo da platina estão em reservas no mundo todo, incluindo quase 70.000 toneladas na África do Sul. Isto significa que a reciclagem é uma importante fonte do metal: cerca de 121 toneladas de platina, paládio e ródio foram recuperados no mundo todo a partir de sucata metálica em 2017.

O paládio também é um subproduto da extração de platina e de níquel e, no entanto, a extração destes dois metais diminuiu, baixando consequentemente a quantidade de paládio extraído. Como resultado, se espera que as quantidades do produto fiquem aquém da demanda pelo oitavo ano consecutivo em 2019. 

Por que investir no Paládio?

Uma das razões para investir no paládio é o esperado aumento na demanda automotiva. A maioria dos carros e caminhões leves fabricados e vendidos na China e nos Estados Unidos, os dois maiores mercados automotivos do mundo, utilizam o paládio como ingrediente essencial em seus conversores catalíticos. O que não é o caso na Europa, onde muitos automóveis fabricados utilizam platina e não paládio nos seus equipamentos.

Claro que os carros elétricos também não usam o Paládio. No entanto, a eletrificação da maior parte da frota mundial de veículos vai levar ainda muitos anos, segundo especialistas. E enquanto isso não acontece, a utilização de paládio em veículos híbridos será crescente.

O estoque baixo é uma das razões mais óbvias para investir em um produto de base. No entanto, a pouca oferta tem o mesmo impacto que o aumento da procura: os preços sobem. A Rússia é o maior produtor de paládio no mundo, mas fortes evidências sugerem que a produção russa do metal está em baixa. A África do Sul é o segundo maior produtor de paládio e se sabe que as greves trabalhistas que ocorrem neste país dificultam a produção, forçando consequentemente o aumento do preço do Paládio.

Como todos estes acontecimentos, o Paládio está se beneficiando do aumento da procura e da diminuição da oferta e o seu valor não para de crescer desde o início do século XXI, uma tendência que deverá manter-se nos próximos anos e atrair ainda mais investidores.

Última Atualização em 22/11/19

Continue esta discussão no Forum