Posso investir na bolsa sem ter feito nenhum estudo em finanças?

Posso investir na bolsa sem ter feito nenhum estudo em finanças?

O investimento na bolsa esta cada vez mais popular e quando vemos as performances de certas empresas (Tesla ou Amazon, por exemplo) podemos até pensar que é fácil: “Se eu tivesse comprado uma ação da Tesla de 1000 euros em 2019, hoje eu teria 8000 euros (+700 %).”

Entretanto, todo investidor sabe que investir na bolsa requer conhecimento, método, estratégias, dinheiro, paciência... e sorte. Estamos falando de uma verdadeira profissão e é por isso que os detentores das maiores fortunas delegam a gestão de seus patrimônios financeiros aos profissionais. Apesar de tudo isso, posso investir na bolsa sozinho e ter rentabilidade? Preciso ter feito estudos específicos para ter boas performances na bolsa?

Contar com a ajuda de um profissional

Quando não existe nem a vontade, nem a competência, nem a energia ou o tempo para mergulhar no mundo dos investimentos, é melhor deixar algum profissional cuidar dos seus investimentos.

Alguns pontos devem ser levados em conta quando se delega a gestão do patrimônio à profissionais: nós colocamos nosso dinheiro em suas mão para eles irem além do preço de mercado. Entretanto, o serviço de um profissional não assegura necessariamente boas performances. Elas podem ser até piores do que o mercado.

Exemplo: O mercado de ação europeu faz +20 % no ano enquanto o fundo no qual o gerente selecionou os títulos individuais faz +15% ; neste caso, o gerente fez - 5 % do que o mercado.

Confiar nas pesquisas

Vários estudos acadêmicos já mostraram que um gerente de finanças não traz mais benefícios do que o mercado à longo termo. Ele pode trazer bons resultados durante um período, mas à longo termo o seu dinheiro perderá valor, se comparado ao mercado de referencia.

Nós podemos citar o famoso teste dos macacos, por exemplo: pesquisadores deixaram macacos escolherem as ações para formar uma carteira (ou seja, de maneira totalmente aleatória e instintiva) para, sem seguida, comparar com as performances de fundos gerenciados por profissionais. O resultado é fora de sério: os macacos escolheram melhor do que os gerentes!

Deve-se lembrar também que os profissionais tem barreiras de gestão que os particulares não tem: regulação, risco, liquidez... São vários elementos que contam para uma boa performance.

Atenção aos gastos

As taxas de gerenciamento não devem ser negligenciadas e podem pesar à longo termo. Quando delegamos a gestão do nosso dinheiro, pagamos por este serviço, como por qualquer outro. O gerente é normalmente remunerado pelo seu trabalho. Mas fazemos isso justamente para obter melhores performances e uma relação rendimento/risco melhor do que a do mercado global.

Mais uma vez, estudos mostraram um impacto negativo que estes custos de gerenciamento apresentam à longo termo. Muitas vezes, o rendimento gerado não é o suficiente para cobrir as taxas de gestão.

O que estudar para investir na bolsa?

Poderíamos acreditar que um MBA em finanças fosse o suficiente... Só que neste tipo de curso aprendemos tudo, menos a investir o seu dinheiro. E por uma verdadeira causa: a finalidade destes MBA’s é preparar profissionais para o mercado de trabalho, ou seja, para entrar numa empresa. Você aprendera conceitos teóricos usados no mundo empresarial e todo trabalho prático ou “estudos de caso” serão feitos durante os estágios dentro destas empresas.

Em seguida, é preciso compreender as Finanças como um tema global. Um MBA em finanças pode abordar diversos assuntos, como contabilidade, gestão financeira, mercados de capital, etc.

Vamos partir do exemplo de um MBA especifico em gestão de ativos ou em gestão de carteiras que pode se aproximais um pouco mais do que compreendemos como “investir na bolsa”. Mesmo nestes casos, todo o conteúdo será bastante voltado para “business” ou “empresas”. Fazer a gestão de um fundo (dinheiro de clientes) é bem diferente de gerir o seu próprio capital.

Na verdade, não existem estudos oficiais e universitários que te ensinem a gerir o seu dinheiro ou a investir na bolsa. Vamos ver agora o que resta a fazer e se vale à pena...

Investir sozinho na bolsa

Já vimos que deixar o seu dinheiro na mão de profissionais pode ser um pouco arriscado. Idealmente, cada um deveria poder investir sozinho o seu dinheiro na bolsa, mesmo que apenas uma parte de sua economia, independente da sua formação. É como andar de bicicleta, dirigir um carro ou saber nadar. Todo mundo deve aprender, e quanto mais cedo, melhor. Saber investir e administrar o seu dinheiro é de responsabilidade de cada um. Ou melhor, o dever de cada um!

Não tem mistério. É preciso aprender e se formar. Como para toda profissão, existe a teoria mostrada em livro e sites e existe a prática que podemos sempre aprender com conselheiros ou coachs.

O objetivo é se tornar independente na prática da bolsa, sem precisar de analises externas. Você precisa ter a sua própria opinião e elaborar as suas próprias estratégias.

Ou seja, investir na bolsa sem nenhum estudo em finanças é possível. Mas isso não pode se tornar uma tormenta ou uma fonte de stress. Se for o caso, é melhor delegar. O investimento tem de ser uma fonte de prazer.

Conclusão

Investir na bolsa é uma atividade pessoal e da responsabilidade de cada um. Infelizmente não aprendemos isso na escola e nem na faculdade. Aprendemos geralmente uma profissão muito precisa que vai nos trazer um salário e a possibilidade de sermos consumidores. É preciso ser interessado e se formar sozinho. Um último aspecto importante a ser levado conta é a fiscalização e os impostos sobre os investimentos. Dependendo do caso, pode vir a ser um problemão... Mas esse já é um outro assunto.

Última Atualização em 17/11/20

Continue esta discussão no Forum