O preço do Bitcoin bateu um novo Recorde em dezembro de 2020: Por quais motivos? Até quando?

O preço do Bitcoin bateu um novo Recorde em dezembro de 2020: Por quais motivos? Até quando?

No dia 16 de dezembro a cripto-moeda mais conhecida do mercado financeiro atingiu um novo Recorde. O Bitcoin ultrapassou os $ 20.000,00 dólares, atingindo uma alta de mais de 170% em 2020. Consequentemente, as ações de empresas ligadas às cripto-moedas também subiram de preço.

Para Guy Hirsch, diretor geral da plataforma eToro nos Estados Unidos, “chegou a hora do Bitcoin”. Segundo ele, a recente alta do Bitcoin se explica em grande parte pelo crescimento da sua popularidade em meio institucional, apesar de admitir que a cripto-moneda ainda tem muito para crescer. Sem dúvida alguma, o crescente interesse institucional pelo Bitcoin é o principal motor do seu atual crescimento. A empresa MicroStrategy aumentou o valor do seu investimento em Bitcoin à $ 425 milhões de dólares no dia 8 de setembro, e Jack Dorsey declarou no início de outubro que a Square havia utilizado 1% dos ativos da empresa (por volta dos $ 50 milhões de dólares) para comprar Bitcoins.

Mas a empresa que mais atrai os investidores institucionais é certamente a Grayscale Investments, a maior gestora de ativos criptográficos no mundo. A empresa cresceu rapidamente nestes últimos meses e gerência atualmente $ 12,2 bilhões de dólares em cripto-moedas. O Grayscale Bitcoin Trust representa sozinho mais de $ 10,2 bilhões de dólares. Segundo o relatório do terceiro trimestre da mesma empresa, o GBTC da Grayscale comprou 77% de todos os Bitcoins do mercado.  

Estes números podem aumentar massivamente no futuro próximo. O Guggenheim Funds Trust anunciou que deverá investir mais de $ 500 milhões de dólares no Grayscale Bitcoin Trust, se tornando a maior empresa detentora de Bitcoins no mundo.

Para Rick Rieder, CIO da BlackRock, o Bitcoin poderá em breve substituir o ouro:

“O bitcoin é uma moeda sustentável? O bitcoin será substituído pelo ouro em larga escala? Eu acho que sim, pois é mais fácil fazer transações com ele, do que com uma barra de ouro.”

Para o Bitcoin, e sobretudo para seus fãs, este novo Recorde é uma etapa memorável dentro de um ciclo de 10 anos marcados por episódios de volatilidade extrema. A cripto-moeda atingiu o antigo record de $ 19.511,00 de dezembro de 2017 em um contexto de exaltação generalizada, para em seguida, perder 70% do seu valor no ano seguinte. Em certa perspectiva, o ano de 2020 foi bom para o Bitcoin: por conta da pandemia do Covid-19, as taxas de empréstimo dos bancos centrais mundiais caíram de maneira histórica, o que forneceu um estímulo extraordinário para a cripto-moeda.

Certos investidores declararam terem comprado a cripto-moeda por segurança contra as ações do banco central e do governo. A propriedade do Bitcoin está concentrada nas mãos de um pequeno número de investidores; os primeiros a adotarem a moeda virtual, frequentemente indo contra a opinião da maioria.

Mas em vista dos recentes lucros espetaculares, as tradicionais empresas financeiras buscaram capitalizar sob a demanda crescente do meio institucional. A Fidelity Investments, por exemplo, lançou um fundo de Bitcoins neste ano, e a PayPal Holdings Inc. decidiu autorizar seus clientes a utilizarem cripto-moedas; medida que permite uma acessibilidade maior, das cripto-moedas, por um publico abrangente.

Entretanto, o Bitcoin continua muito volátil, demonstrando variações médias quotidianas de 2,7% em 2020 (as flutuações do preço do ouro neste mesmo período, por exemplo, são apenas de 0,9%). Esta volatilidade cresceu ainda mais durante as festas de Thanksgiving deste ano, quando o Bitcoin quase atingiu o seu Recorde anteriormente, mas acabou perdendo $ 3000, em dois dias.

Outra limitação possível: o Bitcoin pode enfrentar algumas dificuldades no seu crescimento, devido à problemas de mineração. Este problema está relacionado com a dificuldade em criar um bloco, relativo ao primeiro bloco minerado. Ou seja, a dificuldade de mineração, e uma falta de precisão dos cálculos, podem acarretar uma alta nas taxas de transações para os utilizadores.

Apesar de tudo isso, os experts estão otimistas em relação ao Bitcoin. Para os irmãos Winklevos, os primeiros investidores em Bitcoins e fundadores da cripto-moeda Gemini:

“Nos pensamos que ele será o ativo mais potente nos próximos 10 anos [...] Nossa tese é a de que o Bitcoin, é o ouro 2.0, e que ele vai perturbar o mercado do ouro. Para que isso ocorra, ele deve ter uma capitalização na bolsa de $ 9 bilhões de dólares. Nos achamos que 1 Bitcoin poderá custar $ 500.000 dólares um dia.”

Declarou Tyler Winklevoss.

Neste caso, o Bitcoin custaria 25% a mais do que o seu valor atual.

Última Atualização em 18/12/20

Continue esta discussão no Forum