Top 10 de mercados mais populares para investir ainda em 2023

Admin12/05/23 (atualização 8 meses, 2 semanas atrás)investir, etf, bolsa, bolsa de valor, forex, Criptomoedas

Top 10 de mercados mais populares para investir ainda em 2023
Top 10 de mercados mais populares para investir ainda em 2023

Comentários

Neste post conheceremos 10 mercados bastante populares para investir ainda em 2023 e que possuem potencial para bons retornos. 

Confira abaixo as opções de bons investimentos para os traders brasileiros em 2023. A gama de investimento é bastante vasta, tendo mercados para os mais diferentes perfis e objetivos. Existem mercados que são mais atraentes porque oferecem possibilidades de retornos melhores e existem aqueles em que a segurança do investimento é o principal atrativo. Enfim, existem mercados para todos os gostos. O que é necessário ser dito, é que os melhores mercados variam de trader para trader, principalmente em função do objetivo financeiro de cada um. Sendo assim, neste post buscaremos apresentar mercados que atendem os mais diferentes objetivos, desde aqueles que oferecem retornos no curto prazo até aqueles que têm um prazo de retorno de longo prazo, lembrando que independente do investimento, todos oferecem riscos e possibilidades.

1. Mercado de ações

O primeiro conceito que um trader precisa saber antes de entrar no mercado de ações é o conceito de ação.

Ação nada mais é que a menor parcela do capital de uma entidade, ou seja, quando o investidor adquire uma ação, ele na verdade adquire uma pequena parcela daquela empresa. Da mesma forma, quando ele compra uma ação, adquire direitos naquela organização, em contrapartida, adquire deveres também. No final das contas, esse trader se tornou acionista. Vale lembrar que existem sociedades anônimas (SAs) de capital aberto e capital fechado. As SAs de capital aberto são aquelas cujas ações são publicamente na bolsa de valores.

Formas de remuneração

Existem duas formas de remuneração para o acionista de uma empresa de capital aberto: distribuição de lucros (dividendos) e valorização das ações.

Normalmente, as empresas de maior porte (bancos, empresas públicas ou sociedades de economia mistas e outras) distribuem parte de seus lucros aos acionistas anualmente. Essa distribuição, chamada de dividendos, é um grande atrativo para que suas ações sejam adquiridas pelos traders. É bem verdade que, por serem empresas já consolidadas, o seu potencial de valorização de ações é menor, se comparado com as Small Caps (empresas com valor de mercado menor).

Sendo assim, as Small Caps são, por via de regra, uma opção mais procurada por quem busca remuneração pela valorização das ações.

Leia também: Top 10 de melhores fundos de investimentos em 2023

2. Mercado Forex

Forex é uma abreviação para Foreing Exchange Market, que significa Mercado de Moeda estrangeira, ou seja, o Forex nada mais é que um mercado cambial.

Ele é um mercado descentralizado, ou seja, os investidores negociam diretamente entre si, sem depender de uma entidade centralizadora, como a Bolsa de Valores, por exemplo. O grande diferencial do Forex é que ele permite a negociação simultânea de moedas de vários países do mundo, sendo assim o maior mercado cambial do planeta.

Como o Forex funciona

A negociação no mercado Forex se dá em pares, ou seja, sempre uma moeda comparada a outra. A negociação mais comum é a que envolve os pares EURO/USD.

A negociação é bem simples, sendo feita de forma especulativa. O investidor especula que determinada moeda se valorizará, em determinado período de tempo, em relação a outra. Se essa valorização ocorrer, ele será remunerado pela valorização e se não ocorrer, ele irá se desfazer do ativo. A especulação dos investidores é feita com base no cenário econômico e político, tanto interno (dos países das moedas) quanto global.

Leia também: Como Fazer Dinheiro Online com a Negociacao Forex?

3. Mercado de Criptomoedas

O mercado de criptomoedas, assim como o Forex, também é descentralizado. Dessa forma, os investidores negociam diretamente entre si, sem intermediação.

O mercado de cripto é um dos mais populares atualmente, principalmente, devido a imensa gama de opções e pela esperança de valorização exponencial que já ocorreu com algumas moedas ao longo da existência das criptos. Atualmente, devido à crise bancária americana, se fala na possibilidade de uma moeda de Bitcoin chegar a casa de um milhão de dólares nos próximos anos (alguns falam em meses). Isso tem levado a uma verdadeira corrida atrás desse ativo. Obviamente, existem aqueles que são céticos em relação a essa possibilidade e que tudo não passa de uma jogada de marketing. O fato é que existem milhares de possibilidades de aquisição de criptos, algumas com possibilidade real de valorização e outras não. Cabe ao investidor identificar aquelas que têm potencial.

4. Mercado de Commodities

Segundo o Goldman Sachs, as commodities tendem a ser o melhor investimento em 2023, a exemplo do que ocorreu em 2022.

Isso porque a escassez de petróleo, gás natural e metais, que são importantes matérias primas, que devem impulsionar os preços. A estimativa dos analistas do banco é que o Petróleo Brent alcance no último trimestre do ano, o patamar de $105 dólares. Já em relação aos metais acredita-se que o cobre chegue no fim do ano cotado a $10.500 dólares a tonelada. Vale lembrar que o Brent fechou o mês de março cotado a $79,94 dólares, enquanto o cobre fechou o mês com a tonelada sendo negociada a $8.400 dólares. Mas é bom ficar de olho nas commodities agrícolas também, já que elas  podem oferecer boas oportunidades ao longo deste ano.

5. Mercado de opções

As opções são negociadas na bolsa de valores e estão atreladas a outros ativos de renda variável, entre eles as ações. Apesar de ainda não ser tão popular, vem ganhando novos investidores de forma bem intensa nos últimos anos.

As opções nada mais são que, um contrato, em que um titular adquire o direito de compra ou venda de um ativo por um valor pré-determinado na data acordada no contrato. O preço do ativo ao qual a opção está relacionada é que determinará o seu preço de compra ou venda. Isso significa que a opção é um derivativo. O titular tem o direito de compra do ativo (call) mas não está obrigados a fazê-lo. Da mesma forma, ele tem o direito de venda (put), mas não está obrigado a vender o ativo se não for do seu interesse.

6. Mercado de futuros

O mercado futuro possui algumas semelhanças com o mercado de opções, mas também possui muitas diferenças. Em termos de semelhança, ambos são derivativos e são contratos focados no futuro, obviamente.

Já em termos de diferenças, pode-se citar o fato do mercado futuro ser exclusivamente negociado na bolsa de valores, enquanto as opções podem ser operadas fora também. O contrato futuro que determina o compromisso de comprar ou vender uma certa quantidade de um bem, chamado de bem adjacente, possui data e preço pré-determinados. O ativo envolvido pode ser tanto um ativo financeiro quanto uma commodity, como soja ou café, por exemplo. Uma característica marcante dos contratos futuros é a homogeneidade dos produtos. Isso significa que eles devem seguir certo padrão para serem negociados. Isso garante que todos os investidores estão negociando um produto com as mesmas características.

7. Mercado de índices

O mercado de índices é uma modalidade de investimento que envolve a compra de um conjunto de ações que representam um índice de mercado, como o Ibovespa ou o S&P 500. Os índices são compostos por ações de empresas que são selecionadas levando em consideração alguns critérios, entre eles capitalização de mercado e liquidez.

Quando um investidor aplica recursos em um índice, ele investe no mercado de ações de uma forma mais ampla, em vez de selecionar ações individuais. Isso pode reduzir o risco geral de seu investimento e proporcionar um potencial de retorno mais estável ao longo do tempo. No entanto, é importante lembrar que o mercado de índices não é isento de riscos, e o desempenho dos índices pode ser afetado por uma variedade de fatores, como cenário político e econômico. Portanto, é essencial que os traders avaliem seus objetivos e sua disposição aos riscos, antes de optar por qual índice investir.

8. Mercado de fundos de investimentos (FIs)

O mercado de fundos de investimentos é bastante popular no mercado financeiro, sendo uma forma de investimento em que um grupo de pessoas investem em um mesmo fundo que é administrado de forma profissional por um gestor.

Esses gestores investem em uma gama diversificada de ativos com o objetivo de reduzir riscos e maximizar os rendimentos do fundo, e por consequência, dos investidores. Existem diversos tipos de fundos de investimentos disponíveis no mercado, cada um com sua própria estratégia de investimento, perfil de risco e objetivo de rentabilidade. Alguns exemplos são os fundos de renda fixa, os fundos de ações, os fundos cambiais etc. Investir em fundos de investimentos é bastante simples, e pode ser feito por meio de uma corretora de valores ou diretamente com a instituição financeira que administra o fundo. Para investir, é necessário fazer uma aplicação inicial, e posteriormente, aportes adicionais, de acordo com a política do fundo.

9. Mercado de renda fixa

No mercado de renda fixa são negociados ativos com rentabilidade pré-definida e de baixo risco, geralmente utilizados como alternativa de investimento para quem busca segurança e estabilidade em seus investimentos.

Entre os principais ativos de renda fixa negociados no mercado, podemos citar:

Títulos públicos: são emitidos pelo governo federal e podem ser adquiridos por qualquer investidor. Os títulos são negociados através do Tesouro Direto e possuem diversas modalidades, como Tesouro Selic, Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado. Esses títulos são considerados os mais seguros do mercado.

Certificados de Depósito Bancário (CDB): são títulos emitidos pelos bancos com o objetivo de captar recursos para suas atividades. Os CDBs são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF e instituição financeira.

Fundos de Renda Fixa: são fundos de investimento que aplicam em títulos de renda fixa e possuem gestão profissional. Esses fundos podem ter diferentes políticas de investimento e perfis de risco, e é uma opção interessante para quem não quer se preocupar com escolher títulos para investir.

10. Mercado de ETFs

OS Exchange Traded Funds ou simplesmente ETFs são uma espécie de fundos de investimento também, mas que são um pouco diferentes dos fundos tradicionais. Eles seguem um índice ou uma cesta de ativos subjacentes, e são uma maneira fácil e barata de investir em vários ativos diferentes, sem precisar comprar cada um separadamente.

Existem muitos tipos diferentes de ETFs por aí, desde aqueles que aportam em índices de ações até aqueles que investem em títulos e commodities. Algumas vantagens dos  ETFs é que eles têm, por via de regra, taxas de administração bem mais baixas do que os fundos mútuos e também são ótimos para diversificar a carteira de investimentos. Mas, como tudo que envolve dinheiro, os ETFs têm seus riscos. É importante pensar em seus objetivos de investimento, em quanto tempo você quer investir e o quanto você está disposto a arriscar antes de investir em ETFs. Em resumo, os ETFs são legais porque permitem que você invista em muitas coisas diferentes ao mesmo tempo sem gastar muito dinheiro. Mas você precisa estar ciente dos riscos antes de mergulhar de cabeça.

Conclusão

Como vimos, são vários os mercados disponíveis para investimentos ainda esse ano. Sendo assim, cabe ao trader ou investidor analisar cada um deles e fazer a sua opção ou as suas opções. Antes de fazer a sua opção, é necessário levar em consideração os objetivos e os riscos que se está disposto a correr, e obviamente, se a possibilidade de retorno compensa o risco. Então agora é só fazer a sua análise e optar pelo mercado que mais se enquadra no seu perfil. 

Qual corretor ETF devo escolher?

Veja abaixo nossa seleção de melhores corretores

Última atualização em 24/06/23

Artigos que você pode gostar