Confira a entrevista de um antigo trader

Confira a entrevista de um antigo trader

Você pode se apresentar em algumas linhas? 

Depois de trabalhar durante sete anos no mundo do trading profissional de commodities, agora eu estou ajudando as pessoas à se formarem em negociação e investimento. Eu também era muito ativo nos mercados de ações e forex em paralelo com a minha vida profissional, assim como a maioria dos meus colegas na época. Essas experiências me permitiram ganhar um conhecimento e uma competência (know-how) ampla e precisa. Saber como funcionam os agentes no mercado interno é particularmente interessante para o trading pessoal. 

O que o levou a se tornar cliente?

Na verdade, eu comecei por acaso. Quando eu terminei a minha faculdade de engenharia (mestrado em estratégia e finanças), eu só queria começar uma carreira em Londres. Nada me destinou a me tornar um trader. Mas por outro lado, eu estava interessado em tudo o que girava em torno do mercado financeiro. Fui contactado por um “headhunter” para uma posição de caixa comercial de commodities em Londres. Eu aceitei sem hesitar. Pronto para começar. O resto foi apenas uma progressão para a negociação.

Em quais mercados financeiros você prefere investir? 

Eu prefiro a negociação em investimento. Em termos de investimento, eu me posiciono com um portfólio diversificado de ETFs. Muito pouco em ações individuais. Isso permite investir regularmente e a longo prazo sem se preocupar com a gestão. No entanto, isso depende mais precisamente da posição dos setores específicos e geográficos. Eu acredito, por exemplo, que o mercado asiático tem muito potencial e também eu gosto muito do setor da saúde. Mas no que diz respeito à negociação, é diferente. Procuro mercados ou produtos com certa volatilidade que permitem otimizar os desempenhos.

Como você definiria o seu estilo de negociação?

Dois elementos são primordiais para mim: paciência e risco.

Duas coisas são primordiais para mim: paciência e risco. Antes de tudo, eu nunca me apresso. Eu gosto de tomar um tempo para analisar e obter uma visão precisa. Isso não significa que todas as minhas idéias são ótimas, mas otimizo minhas chances de sucesso. E da mesma maneira eu atuo no médio e longo prazo. Eu negoceio muito pouco “day trading”, e menos ainda o “scalping”. É preciso muito esforço e atenção. Então, eu atuo em posições que variam de um a três meses, e as vezes mais. Depois disso, torna-se investimento. Além disso, mantenho os riscos ao mínimo. Não vejo interesse em arriscar mais do que o necessário. Eu evito grandes alavancagens e grandes golpes. 

Qual é a sua melhor / pior memória?

Minha pior memória é certamente uma perda relacionada a um processo operacional que deu errado. No início da minha vida em Londres, lidei com produtos físicos em termos de energia. Havia todo um sistema de pós-comércio para obter essa energia no lugar certo. Um erro humano causou a perda de uma grande quantidade de dinheiro. Felizmente, esse tipo de problema não ocorre na negociação de produtos financeiros puros, pelo menos não para clientes particulares.

Minha melhor lembrança é certamente uma posição vencedora sobre o carvão quando eu era cliente de um grande banco francês em Paris. Isso é básico como uma emoção, mas quando tudo funciona direito conforme o esperado, a negociação é simplesmente magnifica.

Se fosse fazer de novo ... o que você faria de forma diferente?

Eu não mudaria nada, ou seja, quase nada. Eu tive a chance de trabalhar em “verdadeiras” caixas de trading e bancos. Pude ver como funciona o interior e estar no centro das atividades do mercado. O que eu mudaria talvez, seria começar a negociação pessoal de maneira menos "cabeça-quente". Eu passei um grande risco desnecessário na minha estréia, com as minhas contas pessoais. Eu perdi dinheiro antes de ganhar, mas todos nós provavelmente precisamos passar por isso, para entender a dor das perdas!

Que conselho você dá as pessoas que desejam se envolver nessa área?

Se vocês tiverem a oportunidade de trabalhar no mundo profissional, meu conselho é, aproveitem. Isso abre a mente e permite ver as coisas de dentro. Não importa o tipo de mercado (ações, commodities, títulos ou moedas). Para as pessoas que têm outro tipo de trabalho, sinceramente acredito que sem treinamento, será muito difícil. Eu sempre tomo o exemplo do mergulhador ou do escalador que são atividades potencialmente fatais. Ninguém estaria envolvido nessas atividades sem um mínimo de treinamento. Na negociação não é diferente. Não é sua vida física que está em jogo, mas sim, seu dinheiro!


Se você também quer dar o seu testemunho, entre em contato com a nossa equipe.

Última Atualização em 04/10/17

Continue esta discussão no Forum