ePrivacy and GPDR Cookie Consent

A escalada histórica do bitcoin

A escalada histórica do bitcoin

A trajetória do Bitcoin é marcada por recordes, euforias, sustos e consolidação.

Bitcoin: da incredulidade a um dos mais valiosos ativos do mundo

Quando em meados de 2008, no auge da grave crise econômica que assolava os principais mercados, alguém sob o pseudônimo de satoshi Nakamoto publicou, em um fórum, um artigo intitulado “Bitcoin: a peer-to-peer eletronic cash sistem”, ninguém poderia imaginar que aquela moeda virtual citada no artigo viria a se tornar um dos ativos mais valiosos do mundo.

Afinal de contas, não se sabia exatamente do que se tratava, era algo novo e desconhecido. Mas a ideia foi ganhando força e em janeiro de 2009, teve início o processo de mineração do Bitcoin. É por meio da mineração que outras moedas são geradas.

Desde então, aquela desconhecida moeda, chamada Bitcoin, se tornaria um dos investimentos mais rentáveis do mercado, passando da incredulidade a um dos ativos mais desejados pelos investidores.

O Bitcoin começa sua escalada rumo ao topo

Durante o ano de 2009 (ano do lançamento oficial da moeda), praticamente não havia comercialização de bitcoins. Era possível adquirir a moeda somente através da mineração.

Porém, a partir de 2010 a coisa começou a mudar. Em maio daquele ano tem-se o primeiro registro de transação de Bitcoin, ou seja, oficialmente a criptomoeda passava a ter valor monetário. Naquele mês o ativo foi cotado a aproximadamente $0,003 centavos de dólares.

Em outubro daquele mesmo ano, o Bitcoin já estava valendo $0,23 centavos de dólares, uma valorização de quase 8.000%. Em fevereiro de 2011, ele atingiu o valor de $1 dólar.

Leia também: "Preço do barril do Petróleo dispara"

O primeiro grande susto do Bitcoin

Porém, nem tudo foram flores na trajetória do Bitcoin. Em julho de 2011, o valor da moeda ultrapassou $31 dólares e é justamente aí que ocorreu a primeira bolha. O ativo sofreu forte desvalorização e em dezembro estava cotado a $2 dólares. A desconfiança tomou conta do mercado.

O ano de 2012 foi um ano difícil para o Bitcoin. Neste ano, a moeda não conseguiu grande valorização e fechou dezembro cotada a “apenas” $13 dólares.

A volta do crescimento

Já em 2013, o Bitcoin rompeu pela primeira vez a casa dos três dígitos, chegando em abril a $266 dólares. Mas o melhor estava por vir. Em novembro o preço disparou de vez e ultrapassou pela primeira vez os quatro dígitos: $1.000 dólares em 27 de novembro.

Já os três anos seguintes (2014, 2015 e 2016) foram de oscilações, com a moeda variando entre $340 e $900 dólares, sem conseguir romper os quatro dígitos novamente.

O grande Boom

Mas é em 2017 que o preço do ativo ganha força e agita o mercado de investimentos. Em fevereiro daquele ano a moeda já estava acima de $1.200 dólares, fechando dezembro cotada a surpreendentes $19.900 dólares.

2018 e 2019 foram anos de dificuldades para a moeda, com os preços oscilando entre $5.600 e $8.000 dólares. Apesar disso, o mercado continuava otimista com o futuro da moeda.

Em 2020, o Bitcoin atingiu outra marca importante, o que viria a ser o recorde histórico até então. Em dezembro, a moeda ultrapassa os $28.000 dólares e dá mostras de que poderia realmente chegar a níveis extraordinários.

2021: o ano da consolidação

Em 2021, o ativo vem se consolidando como um dos mais importantes e valiosos do mercado. O Bitcoin já começou o ano cotado acima dos $29.000 dólares e com forte expectativa do mercado sobre a moeda.

Em março, houve um novo recorde histórico. Dessa vez, a moeda atingiu o valor de $61.711 dólares, levando analistas a acreditar que em abril a moeda poderia chegar a $80.000 dólares.

Porém, não foi o que aconteceu. A partir de abril, houve uma queda vertiginosa nos preços, chegando a recuar para $30.000 dólares em julho.  Em agosto houve uma significativa retomada, fechando o mês cotado acima de $46.000 dólares. Mas ainda assim bem abaixo do esperado pelo mercado.

Outubro veio para fazer história

No final de setembro, o governo chinês resolveu proibir toda e qualquer atividade relacionada a criptomoedas no país. Porém, isso não foi suficiente para frear o Bitcoin, que a partir do início de outubro entrou em uma escalada surpreendente, culminando com um novo recorde histórico.

Com a possibilidade da aprovação do primeiro ETF da moeda pela SEC (a CVM americana), o que acabou se confirmando, a expectativa era crescente por uma nova marca histórica e em 20 de outubro a moeda atingiu essa marca: $66.000 dólares.

E o que esperar agora?

É quase uma unanimidade que o Bitcoin pode chegar ainda esse ano aos $100.000 dólares. vale lembrar que a valorização em 2021 já ultrapassa 114%.

Segundo o diretor de investimentos da QR Asset Mangement, Alexandre Ludolf, a moeda não só pode chegar a $100.000 dólares esse ano, como acredita que ela chegará a $140.000 dólares em 2022.

Ainda segundo ele, “a regulação não pode parar a inovação”. Obviamente, a volatilidade do mercado de criptomoedas é muito grande, principalmente pela principal moeda do mercado. Portanto, muitas previsões falharam ao longo do tempo, assim como muitas se confirmaram, devido a essa dinâmica do mercado.

Então resta ficar atento e acompanhar os próximos capítulos da saga desse ativo que continua surpreendendo e avançando rumo a outros patamares.

Última Atualização em 29/10/21

Continue esta discussão no Forum