Guerra na Ucrânia: 10 portos seguros para investir

Admin11/04/22 (atualização 3 meses, 3 semanas atrás)ouro, criptomoedas, commodities

Guerra na Ucrânia: 10 portos seguros para investir
Guerra na Ucrânia: 10 portos seguros para investir

Comentários

Apesar da guerra na Ucrânia ter provocado um rebuliço no mercado financeiro, nesse post mostraremos que existem bons investimentos para serem analisados; confira

A guerra na Ucrânia tem deixado o mundo estarrecido diante de tantas vidas humanas sendo perdidas. Mas, além das perdas humanas, há também as perdas financeiras que acabam provocando caos social em diversos países, principalmente aqueles que são dependentes de produtos ucranianos e/ou russos. Isso acontece devido à queda (às vezes até a interrupção) na produção desses países, o que leva a escassez de produtos e, consequentemente, a alta nos preços (inflação).

Não podemos deixar de citar também as sanções econômicas impostas contra a Rússia. Essas sanções não afetam somente os russos, mas de forma direta ou indireta, acaba impactando a economia global. O fato é que os mercados financeiros do mundo inteiro ficam bastante apreensivos diante de uma situação como essa. O reflexo dessa apreensão é a volatilidade exagerada das bolsas, a queda do preço de alguns produtos e a disparada de outros. Há um grande receio de se fazer novos investimentos. No entanto, existem alguns ativos que valem a pena serem acompanhados para aproveitamento de oportunidades.

E é exatamente sobre isso que falaremos nesse artigo: 10 portos seguros para se investir nesse momento difícil. Então vamos à eles.

#1. Ouro

ouro

Esse metal além de ser o mais nobre, também é o mais escasso do mercado. Isso por si só já é o suficiente para torná-lo tão valioso. O Ouro sempre foi considerado um investimento de segurança para os momentos de crise, inclusive, ele é considerado um investimento mais interessante do que o próprio dólar. Enquanto o dólar sofre valorização ou desvalorização comparado a outras moedas, o Ouro não está sujeito a comparação com outros metais, o que dá à ele estabilidade.

Vale lembrar que o Ouro é um investimento recomendado para quem busca retorno a médio ou a longo prazo. Um dos fatores que torna esse ativo tão importante para ter na carteira visando se proteger das oscilações provocadas pela guerra é que muitos países têm sua reserva monetária em Ouro.Isso garante valor e demanda ao nobre metal. Sem dúvidas, o Ouro é o principal porto seguro do mundo dos investimentos em tempos de crise.

#2. Tesouro Selic

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional criado em 2022, com o intuito de angariar fundos para financiar as atividades governamentais. O Tesouro Selic é uma das espécies de Tesouro Direto. Pensando em proteção aos investimentos, o Tesouro Selic é uma alternativa muito interessante em tempos adversos para o mercado. Isso porque a taxa de juros vêm subindo gradativamente nos últimos meses, passando de 2% em janeiro de 2021 para 11,75% em março de 2022.
Essa taxa de juros alta é ótima para quem aplica seus recursos no Tesouro Selic, pois o rendimento desse tipo de investimento está atrelado à taxa básica de juros (Selic). Apesar do resgate ser apenas no vencimento (importante escolher o prazo do título de acordo com o seu objetivo), esse título possui liquidez diária, o que o torna excelente opção para situações emergenciais. Lembrando que pelo seu rendimento depender da taxa Selic (variável), este é um título pós-fixado.

#3. Tesouro IPCA+

A sigla IPCA significa Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Esse índice mede a inflação de determinado período. Apesar de também ser um título do Tesouro Direto, o IPCA+ difere do Tesouro Selic na forma de remuneração. Enquanto o Selic rende somente de acordo com o índice da taxa Selic, o que faz dele um título pós-fixado, o IPCA+ rende parte de acordo com o IPCA e parte pré-definida no momento da aplicação. Isso faz dele um título híbrido, ou seja, parte do seu rendimento é variável e parte é fixo. É um bom investimento para quem quer se proteger das oscilações da inflação.

#4. CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB), assim como o Tesouro Selic, também é um título de renda fixa. Porém, enquanto aquele é um título público, este é um título privado. Por indiretamente estar ligado à taxa Selic. o CDB tem chamado bastante a atenção dos investidores. Isso porque como os juros nas alturas os rendimentos têm sido bem atrativos. O CDB geralmente paga 100% do Depósito Interbancário (DI). É o DI quem acompanha a taxa básica de juros, por isso diz-se que o CDB está indiretamente ligado a ela. O CDB é mais um bom investimento para quem busca aliar segurança com bons retornos.

#5. Fundos Cambiais

real brasileiro

Durante tempos de incertezas, o que se busca são investimentos que gerem alguma proteção contra oscilações mercadológicas. Sendo assim, investir em fundos cambiais se torna interessante pois é um investimento que oferece certa proteção contra as variações da moeda nacional em relação a determinada moeda estrangeira que possua maior poder de mercado, geralmente o dólar ou o euro. Além disso, o investidor conta com um profissional para gerir o fundo. Esse profissional tem a missão de encontrar as melhores oportunidades para o fundo. Portanto, é uma boa opção de investimento em tempos de dificuldades no cenário global.

#6. Títulos do Tesouro Americano

Segundo Martin Iglesias, líder de investimentos do Itaú (Itausa), aplicar no tesouro norte americano é um bom negócio para combater riscos de mercado. No entanto, não deve ser o investimento predominante dentro da carteira do investidor, devendo ser usado apenas como instrumento de diversificação segura. Ainda segundo Martin Iglesias, o ideal é que esse investimento ocupe entre 7,5% e 18,5% da carteira, a depender do perfil do indivíduo.

#7. Ações do Setor Energético

eólico no brasil - moinho de vento

Investimento em ações de empresas do setor energético estão entre as preferidas do mercado em qualquer tempo. Mas, em tempos como o que estamos vivendo, essas ações ganham ainda mais força. Isso porque são ativos que oferecem segurança. Atualmente, há cerca de 30 opções de ações de empresas desse setor na bolsa de valores de São Paulo, ou seja, opção é o que não falta. Além de oferecerem segurança, essas ações também são bastante procuradas pelo pagamento de dividendos ser bem atraente.

#8. Commodities

Tanto a Rússia quanto a Ucrânia são potências mundiais quando o assunto são as commodities. Portanto, a guerra entre as duas nações naturalmente elevaria o preço desses produtos. E é exatamente isso que torna as commodities um investimento tão atraente. Evidentemente, que a inflação e os juros altos podem causar impactos negativos sobre as commodities. Mas ainda assim elas são ótimas opções nesse momento. Além de investir diretamente nas commodities, há a opção de investir em ações de empresas que são potências globais desses ativos. Outra opção é investir em ETFs ligados a esse setor. No Brasil atualmente são apenas três ETFs de commodities listados na bolsa, mas na bolsa americana são mais de cem. As commodities que mais se destacaram no primeiro trimestre deste ano foram a bauxita, o minério de ferro, o ouro, a celulose e, claro, o petróleo.

 #9. Certificados de Operações Estruturadas (COE)

Esses títulos não são muito populares no Brasil ainda, diferentemente do que ocorre na Europa e nos Estados Unidos (Notas Estruturadas). Os COEs são flexíveis e mesclam elementos de renda fixa e renda variável. A emissão desses ativos podem ser em duas modalidades: valor nominal protegido ou valor nominal em risco. No caso do valor nominal protegido, há a garantia de retorno do valor investido. Já no valor nominal em risco, não há essa garantia, mas a possibilidade de retorno também é bem maior.Quem emite os COEs são os bancos, mas quem faz o depósito e a liquidação é a B3. Esses títulos são uma boa opção para quem busca algo novo e promissor.

#10. Criptomoedas

bitcoin

Alguns especialistas têm afirmado que é provável que as criptomoedas sofram uma boa valorização durante o cenário de guerra. Porém, eles alertam que elas podem se tornar bastante voláteis durante esse período. A expectativa de valorização ocorre devido a tendência do mercado em buscar ativos com alta liquidez para investimento, como é o caso das criptos. No entanto, é preciso manter a calma caso as criptos sofram quedas bruscas no curto prazo, uma vez que a esperança dos entusiastas desses ativos é que elas sofram um boom no curto prazo. Por isso, mesmo em caso de quedas, vale a pena manter os investimentos. A possibilidade de bons retornos é real.

Conclusão

Evidentemente, o universo dos investimentos é demasiado volátil, em maior grau na renda variável e em menor grau na renda fixa. Por isso, é sempre recomendável estar atento aos acontecimentos da política e da economia, tanto no cenário doméstico quanto no cenário internacional. O que temos de certo mesmo é que um momento como esse pelo qual o mundo está passando traz muitas incertezas, mas também traz muitas oportunidades.

Última atualização em 11/04/22